Análise das demonstrações financeiras: entenda sua importância

5 minutos para ler

Você sabia que conhecer um pouco mais sobre a Análise das Demonstrações Financeiras (ADF), pode não só ajudar na administração de uma empresa como também na organização das finanças pessoais? Esse é um dos conceitos da contabilidade que, na prática, facilitam enxergar e analisar todo um histórico financeiro. A partir dele, é possível traçar novas metas e estratégias, tanto para o negócio como para a vida pessoal.

CONCEITO E IMPORTÂNCIA

Ter em mente, todos os gastos, investimentos e lucros de uma empresa, pode ser uma grande dor de cabeça para um empresário. Com base nisso, o setor da Contabilidade fica responsável por coletar todas essas informações e simplificá-las em forma de relatórios, estes têm como objetivo esclarecer os resultados da administração.

Um dos relatórios mais utilizados pelo setor, chama-se Análise das Demonstrações Financeiras, também conhecido como Análise das Demonstrações Contábeis. Neles, são encontradas informações que fazem o diagnóstico real da situação econômica-financeira da empresa, como: Ativos (bens e direitos), Ativos passivo (obrigações), patrimônio líquido, receitas, despesas, lucros obtidos e fluxo de caixa. 

PRIMEIRA DEMONSTRAÇÃO

A estrutura dessa análise das demonstrações financeira, é composta por quatro demonstrações. A primeira delas é o Balanço Patrimonial (BP), parte em que se faz o registro dos bens, direitos e obrigações de uma empresa. Vale salientar que os bens e os direitos se encaixam no ativo, as obrigações exigíveis no passivo e as  não exigíveis, no patrimônio líquido. 

Ativos

As empresas em geral possuem diversos ativos, e isso inclui, o próprio terreno, caixa, ações de outras empresas, instalações e muitos outros. Então todos eles passam a ser organizados com base na sua liquidez, ou seja, são escalados com base na facilidade ou não de serem convertidos em dinheiro. Assim sendo, os itens com maior liquidez, são colocados no que chamamos de ativo circulante, os que têm pouca ou nenhuma liquidez no ativo não circulante, como por exemplo os investimentos.

Passivos

Como já dito anteriormente, as obrigações exigíveis se encaixam no passivo, que é dividido também entre circulante e não circulante. No primeiro entram contas com vencimento a curto prazo, já no segundo, entrarão contas com vencimento a longo prazo.  

Patrimônio Líquido 

Patrimônio Líquido, onde as obrigações não exigíveis se encaixam, nada mais é, do que o valor próprio ou capital próprio da empresa.  

SEGUNDA  DEMONSTRAÇÃO

Na segunda demonstração, está a Demonstração de Resultado do Exercício (DRE), onde faz-se presente o resumo dos custos, das receitas e despesas de uma empresa em um período específico. Ou seja, é basicamente o cálculo realizado para obter o diagnóstico final de prejuízo ou lucro. Os cálculos são os seguintes:

  • Em caso de receita – despesa = lucro ou prejuízo
  • Já quando receita > despesa = lucro
  • Para receita < despesa = prejuízo

TERCEIRA DEMONSTRAÇÃO

A Demonstração dos Lucros ou Prejuízos Acumulados (DLPA) se encaixa na terceira, isso porque ela acaba registrando um resultado que depende da segunda demonstração. Logo, apresenta o valor final entre todos os lucros e os prejuízos acumulados desde os primórdios da empresa em si. 

QUARTA DEMONSTRAÇÃO

Já na quarta, Demonstração dos fluxos de caixa (DFC), identifica toda a movimentação de dinheiro (quanto entra e quanto sai). Isso é referente desde o resumo dos recebimentos de um período como o de pagamentos das atividades operacionais, investimentos e atividades financeiras em geral. 

NOTAS EXPLICATIVAS

Por último, mas não menos importante, temos um tópico que não é considerado uma demonstração em si. Nele estão presentes as Notas Explicativas, normalmente apresentadas e posicionadas no rodapé do relatório. Têm como objetivo, esclarecerem situações que não conseguiram ser evidenciadas nas etapas anteriores,  mas que são de extrema importância para a finalização das mesmas.

CURIOSIDADE

O que é exercício social e período contábil?

É o período de meses, referentes às Demonstrações Contábeis. Este não necessariamente se inicia no mês de janeiro, pois cabe a definição da data ser realizada pelo proprietário. Entretanto,  para fins fiscais, o imposto de renda sugere encerramento do processo no dia  31 de dezembro. 

CONCLUSÃO

Diante do exposto, é possível prever a importância desses relatórios não só para as empresas como para qualquer outra organização financeira. Assim como esse texto explica um pouco mais sobre Análise das Demonstrações Contábeis, nossa empresa oferece uma série de serviços que podem auxiliar você no controle das suas finanças. Para conteúdos mais técnicos como esse, acesse nosso blog, ou entre em contato na caixinha “Fale Conosco”. 

Posts relacionados

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.