DRE DRE

DRE: principais erros cometidos na hora de elaborar e como solucioná-los

5 minutos para ler

Alguns demonstrativos contábeis são obrigatórios para grandes empresas. Entretanto, isso não impede que desde às microempresas até as maiores multinacionais os façam. A realização desses demonstrativos auxilia na gestão das empresas e podem resultar em outros benefícios que proporcionam, até mesmo, uma diminuição no valor pago em impostos. Um dos principais relatórios no mundo contábil-administrativo é a Demonstração de Resultado do Exercício, o DRE.

dre

O que é o DRE?

O DRE é uma demonstração que reflete o que se passou economicamente na empresa em um determinado período, que normalmente é de doze meses. Ele é um demonstrativo de competência que apresenta as operações da empresa e é subdividido normalmente em partes, que variam de acordo com a realidade e com o intuito de sua realização para cada empresa. Mas, ao final, apresenta o resultado líquido (de lucro ou prejuízo) do empreendimento.

Principais erros cometidos na hora de elaborar a DRE

  • Ignorar algumas etapas

Na hora de confeccionar o demonstrativo, algumas etapas podem ser ignoradas e/ou serem realizadas incorretamente. Esse é um dos principais erros cometidos durante a elaboração desse relatório contábil. Caso ele seja elaborado incorretamente, o resultado líquido apresentado não representará de fato a realidade da empresa e isso pode resultar em decisões erradas com base no demonstrativo e/ou mascarar problemas na empresa. Por isso, é necessário que ele seja elaborado por um responsável competente, com o auxílio de um contador ou outro profissional da área.

  • Ter como base o demonstrativo de caixa

Outro erro comum na elaboração do DRE é realizá-lo com base em um demonstrativo de caixa, e não de competência, que é o caso desse demonstrativo como mencionado no primeiro tópico deste texto. Mas afinal, qual é essa diferença? É simples: um demonstrativo elaborado no regime de caixa demonstra as receitas e as despesas no período de seu efetivo recebimento ou pagamento.

Já um demonstrativo que é elaborado no regime de competência, atribui as receitas e as despesas ao período de sua realização, independentemente do efetivo pagamento ou recebimento (como no caso de compras e vendas parceladas, em que não se recebe ou paga o valor por inteiro). Sendo assim, é muito importante zelar pelo cuidado na elaboração do DRE e ter ciência do conceito de algumas definições contábeis para elaborá-lo.

A importância de se ter o controle das despesas da empresa

Para a melhor gestão administrativa e financeira, a elaboração de relatórios contábeis, tomadas de decisões e outras diversas e importantes atribuições, é necessário se ter, com rigorosidade, o controle das despesas da empresa. Somente com essa administração as lideranças do empreendimento vão conseguir gerir de forma efetiva e mantendo o controle da empresa. É normal que algumas empresas não tenham esse acompanhamento, mas, sem ele, as perspectivas de crescimento e sucesso caem bastante.

planilha de controle financeiroPowered by Rock Convert
Empresa de sucessoPowered by Rock Convert

Portanto, é fundamental que as empresas tenham um Planejamento Financeiro que controle os seus gastos e as suas receitas. A partir disso será possível a elaboração do DRE e das demais demonstrações, bem como o controle efetivo da empresa.

Estrutura do DRE

A elaboração da DRE se baseia em evidenciar as operações e com isso chegar a um resultado final. Normalmente, o escopo da DRE segue, verticalmente, as seguintes partes:

  • Receita bruta das vendas e serviços, as deduções das vendas, os abatimentos e os impostos.
  • Receita líquida das vendas e serviços, o custo das mercadorias e serviços vendidos e o lucro bruto.
  • Despesas com as vendas e despesas financeiras deduzidas das receitas e despesas gerais, administrativas e outras despesas operacionais.
  • Lucro ou prejuízo operacional, as outras receitas e as outras despesas.
  • Resultado do exercício antes do Imposto sobre a Renda.
  • Participações do empreendedor, da empresa e demais que não se caracterizem como despesa;
  • Lucro ou prejuízo líquido.

Na imagem abaixo, tem-se um exemplo de como é, normalmente, elaborado o DRE.

Exemplo de DRE
Fonte: PUC Consultoria Jr.

Em cada etapa desse demonstrativo é possível chegar a uma conclusão e análise diferente. Pode-se tirar conclusões a respeito da quantidade de impostos pagos, do impacto das contribuições no resultado da empresa, se o lucro bruto está satisfatório e sendo suficiente para pagar as despesas, entre outras importantes informações. Além disso, é interessante que sejam feitas várias análises desse relatório a respeito dos fatores que consideram a sua elaboração.

Conclusão

Ainda, uma dica final é que incluir a depreciação nesse relatório pode ser interessante. Isso porque ela não é uma despesa que impacta diretamente no caixa da empresa. Na verdade, se contabilizada, irá mostrar mais de fato a realidade da empresa e irá diminuir o lucro líquido. Consequentemente, impactará no pagamento de um valor menor no IRPJ.

Por fim, o controle das receitas, gastos, resultado líquido e da possível diminuição dos tributos, mostram a importância do DRE. Por isso, a elaboração dessa demonstração, junto com um Planejamento Financeiro é de suma importância para qualquer empresa.

Texto escrito por Leonardo Castro, Diretor Administrativo-Financeiro da PUC Consultoria Jr.

Posts relacionados

Deixe um comentário