Gestão de crise: Microempresa reage a crise em seu ramo

6 minutos para ler

Fundada em 2001, o Arquivo Musical é uma microempresa que atrai olhares por atuar com uma segmentação menos utilizada por outros empreendimentos. Fica situado em uma sobreloja no Centro da cidade do Rio de Janeiro e vende CDs, DVDs e vinis. O ramo no qual atua, passou por altos e baixos por conta da pirataria e o surgimento de serviços de streaming. Tais fatos fizeram com que organizações parecidas e tradicionais mudassem completamente seu modelo de negócio. Isso através de uma gestão de crise.

A chegada da Internet fez com que esses estabelecimentos se adaptassem de uma forma ou de outra, alguns optaram por virarem livraria e café. Porém, a empresa deste Estudo de Caso foi além, pensou diferente e por isso está se sobressaindo.

Estratégias de gestão de crise

A microempresa, em sua gestão de crise, apostou em primeiro lugar na aproximação com o cliente – customerização. Ou seja, entendimento da necessidade individual de cada pessoa do segmento escolhido: Jazz, Clássico e Rock Progressivo. Além disso, Ricardo Wagner Alves, Sócio-Gerente afirmou em entrevista ao Mundo do Marketing que a loja detém de uma grande variedade, itens raros e atualização constante de seu banco de dados. Trabalham com encomendas individuais, portanto, a empresa ficou bastante conhecida diante de seus fornecedores.

Para um melhor entendimento sobre as necessidades e características de seu cliente e do seu segmento, é necessário uma Pesquisa de Mercado ou um Plano de Marketing. Para mapear o público alvo e/ou persona deste empreendimento.

 Com a intenção de manter a qualidade, os produtos de segunda mão, que também são um dos negócios da empresa, passam por uma revitalização antes de serem oferecidos aos seus fiéis clientes. Além da troca de embalagens por novas. “Somos procurados por herdeiros de grandes nomes do mercado cultural e político que buscam um melhor destino para os CDs de seus pais” diz Ricardo.

Canais de comunicação mais eficientes

 Ricardo aponta que já gastaram bastante com site próprio da empresa. Porém só foram descobrir depois de algumas indicações que seu público correspondia melhor através do Facebook. A plataforma fez com que abrissem várias negociações com o exterior, sendo Europa e EUA os locais onde seus clientes virtuais estão mais presentes.

Esse meio fez com que o micro negócio atingisse novos públicos, pessoas de até 35 anos são mais ativos em redes sociais. Porém, na unidade física o foco é outro.

Público

O público que está mais presente no Arquivo Musical tem em média acima de 40 anos. Além disso, divergem em sua classe social devido a variedade nos preços dos produtos e compartilham do gosto pelo segmento trazido pela loja.

Promoção da Marca   

O pequeno empreendimento participa de feiras de vinis, locais onde pode trazer mais visibilidade e conhecimento de sua marca para seus potenciais clientes. Isso é importante para qualquer negócio que queira adquirir um posicionamento diante seus concorrentes e consumidores. Veja mais sobre esse assunto no link abaixo:

Além do que foi visto até agora, os donos fazem um happy hour toda sexta feira. O que é uma forma de fazer com que os clientes passem mais tempo dentro da loja. Dessa forma as vendas aumentam drasticamente, pois estes passam a conhecer a quantidade de produtos que lá estão contidos e realçam suas indicações.

Através dessa ação, os donos perceberam demanda para os vinhos que eram oferecidos como degustação durante essas reuniões junto ao queijo. Sendo assim, passaram a comercializá-lo e também o café, pois ao conhecer bem a rotina de alguns de seus clientes, identificou que poderiam resolver duas tarefas em apenas um lugar. Assim passariam mais tempo ali.

Outra forma de promoção da marca é o boca a boca de seus compradores. Pois com esses eventos e com um ambiente cativante, o local torna-se mais do que apenas um lugar de compra. “É a sala de música da casa do cliente”, de acordo com Ricardo.

Desafios ao longo do caminho

Por terem variadas coleções, a microempresa necessita de fazer negócios com o exterior. Sendo assim, o dólar pode se mostrar como um grande desafio, pois com sua oscilação constante torna-se mais difícil essa importação. Entretanto, o bom relacionamento com fornecedores os dão boas opções já que compram de todos os continentes.

Passaram também por um período de crise na época de obras das olimpíadas que fez com que pessoas evitassem as áreas centrais do Rio. Situação motivadora da organização apostar no meio virtual para que conseguissem superar essa passagem. Ponto de grande importância em uma gestão de crise.

Vale ressaltar que o Marketing Digital não é tão simples quanto parece. Existem diversas estratégias de conteúdo que fazem dessa ferramenta algo mais complexo.

Observações

A gestão de crise consiste em boas ações voltadas para as pessoas certas, inovação constante, mensuração do investimento, Planejamento Financeiro, conhecimento prévio do mercado e para isso você deve saber muito bem sobre toda essa estrutura chamada Plano de Negócio.

Porém, abrir uma empresa e conseguir consolidá-la em um mundo com diversas incertezas e mudanças constantes não é uma tarefa fácil. Permanecer em constante adaptação para uma melhor gestão torna-se praticamente inviável dependendo da situação.

Entretanto, existem organizações como a PUC Consultoria Júnior que auxiliam antigos e novos empreendedores a conhecer melhor seu local. Com um Estudo de Localização, seu público alvo, persona do estabelecimento e até mesmo um Estudo de Viabilidade Econômica deste, garantindo uma boa gestão de crise.

Texto escrito por Gabriel Roberto, consultor de projetos na PUC Consultoria Jr.

Posts relacionados

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.