Organograma Organograma

Organograma: qual a sua importância para o sucesso

6 minutos para ler

O que seria de uma empresa sem um organograma? Haveria certamente uma desorganização estrutural de cargos, pouca integração entre as áreas e baixa comunicação interna. Por isso, a função de um organograma vai além de apenas ter uma relação hierárquica na instituição, ele exerce funções importantes para haver um fluxo de trabalho eficiente, produtivo e que possa gerar benefícios para a empresa internamente.

O que é um organograma?

Um organograma é um gráfico da estrutura hierárquica de uma organização social complexa, que representa simultaneamente os diferentes elementos do grupo e as suas ligações, segundo o dicionário da Oxford Language. Assim, um organograma tem como objetivo principal facilitar o entendimento dessas relações hierárquicas e a interação entre as áreas e cargos para o público que se encontra externamente e para a equipe interna.

Quando surgiu o organograma?

O primeiro organograma moderno surgiu em 1855, quando o supervisor geral ferroviário, Daniel McCallum, junto com o engenheiro civil, George Holt Henshaw, projetaram a Estrada de Ferro de Nova York e Erie. Todavia, o termo “Organograma” levou mais 50 a 60 anos para uso comum. E, apenas em 1914, o engenheiro Willard C. Brinton usou o termo em seu livro didático, Métodos Gráficos para Apresentação de Fatos. Assim, os gráficos foram usados em círculos de engenharia até a década de 1920.

Qual a importância de um organograma?

Um organograma não precisa ser necessariamente utilizado apenas para grandes empresas econômicas que envolvem negócios, ele também pode ser utilizado para organizar escolas de sambas, por exemplo. Tal como nos desfiles que ocorrem no Rio de Janeiro, que chegam a movimentar bilhões de reais e, para atingir esse patamar é preciso ter uma organização entre as atividades. Criando, assim, um organograma entre as áreas, que estão mais detalhadas no texto Escolas de Samba: um modelo de gestão e sucesso empresarial.  

Ademais, pouco se discute sobre organogramas nas empresas, visto que existe um senso comum das hierarquias existentes. Entretanto, a realização e discussão sobre a realização de um organograma na empresa pode favorecer em diversos fatores. Como por exemplo na organização dos fluxos de trabalho, no estímulo de maior integração entre os cargos e na melhoria da comunicação interna. Além disso, ele auxilia os colaboradores a absorverem o seu papel e a relevância do seu trabalho para o resultado final da organização. Também torna mais atingível o contato da empresa com seus parceiros e clientes.

Portanto, um organograma pode ser fundamental para o sucesso da sua empresa, pois contribui no entendimento dos processos realizados, identifica falhas, evita sobrecarga de trabalho devido a divisão de funções, incentiva os funcionários a terem mais conhecimento da sua área e facilita o acesso da visão na empresa. Além do mais, nesse momento pandêmico que o mundo está vivenciando, é essencial haver uma organização mais implementada nas empresas, no qual é necessário aplicar planos de ação específicos nesse cenário. Tal assunto pode ser aprofundado melhor no texto Estrutura organizacional: modificando estratégias

Quais são os tipos de organograma?

Há vários tipos de organogramas que podem ser utilizados e é a empresa que escolhe aquele que mais se adequar à sua realidade na divisão de funções e cargos. Abaixo se encontram os principais tipos:

Clássico ou vertical
Fonte: Pontomais

É o modelo mais conhecido entre o ramo empresarial, com os cargos distribuídos por grau de importância, do topo até a base. Estará no topo do organograma os que possuírem mais responsabilidade e autonomia em relação ao seu cargo.

Sendo assim, no alto ficam o presidente e os diretores e na base encontram-se os funcionários das funções mais operacionais. Nas caixas são descritas as áreas da empresa.

Horizontal
Fonte: Pontomais

Assim como o modelo vertical, o horizontal segue o mesmo tipo de hierarquização dos dados. Se diferenciando apenas pelo sentido ser diferente, seguido por uma linha horizontal. 

Funcional
Fonte: Daexe

É um modelo muito utilizado atualmente sendo bem semelhante ao vertical, porém esse modelo de organograma representa as relações funcionais e não hierárquicas. É o mais coerente dos modelos.

Dessa forma, todos podem conhecer a estrutura organizacional da empresa, colaborando e facilitando o trabalho em equipe, gerando mais flexibilidade na execução das atividades, criando processos mais estruturados e obtendo informações centralizadas.

Circular ou radial
Fonte: Pontomais

É considerado o modelo mais moderno dos organogramas, onde os níveis mais elevados estão dispostos no centro, com a hierarquia diminuindo gradativamente nas camadas mais externas. Assim, os cargos ou funções devem ser representados em diferentes cores para ser compreendido melhor.

Linear de responsabilidade
Fonte: Pontomais

Dentre todos os tipos de organogramas, esse é o mais diferente e que foge das regras. Ele é o único que se refere ao tipo de informação que busca apresentar. O organograma linear não se prende à hierarquia dos cargos e funções na empresa, ele apresenta cada atividade de determinado cargo, definindo quem é responsável pelas etapas daquela ação.

Matricial
Fonte: Pontomais

Por fim, o modelo Matricial é mais utilizado em processos mais dinâmicos para demonstrar estruturas temporárias. Portanto, normalmente são criados para equipes formadas em projetos específicos, que provavelmente envolvem diferentes sedes e departamentos.

Conclusão

Por fim, caso esteja tendo problemas com a organização da sua empresa, a PUC Consultoria Jr. oferece o serviço de Plano de Cargos e Salários, onde serão realizadas entrevistas com os funcionários, além do mapeamento do seu departamento, das tarefas e das funções exercidas; construção do organograma atual da empresa; e mapeamento de competências por meio do CHA. O CHA significa Conhecimento, Habilidade e Atitudes, competências essenciais para a prospecção do seu empreendimento. 

O organograma pode ajudar muito na organização da sua empresa como visto até aqui. Quanto aos tipos, deve-se analisar qual é o melhor para cada caso, tanto para pequenas quanto para médias e grandes empresas, pode-se escolher qualquer tipo de organograma, desde que se encaixe no objetivo do empreendimento.

Indicação de livro

Um ótimo livro para aprofundar mais sobre o assunto e saber mais sobre organização empresarial é “Organização e Métodos – Uma Visão Holística” de Antonio Cury.

Texto escrito por Ana Carolina, consultora de projetos da PUC Consultoria Jr.

otimização de processos
Posts relacionados

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.