Planejamento Estratégico Planejamento Estratégico

Aprenda a estruturar o planejamento estratégico da sua empresa

9 minutos para ler

Um dos grandes desafios para empreendedores recém inseridos ou que querem alavancar no mercado, é encontrar uma forma a atingir seus objetivos e se destacar em meio à concorrência.

Porém, na maioria das vezes, o empreendedor dirige seu foco apenas para o presente, esquecendo de que as grandes empresas, levaram anos para chegarem a este patamar.

Afinal, antes de engatarem seu ritmo de crescimento, definiram que tipo de empresa seriam, os valores que adotariam, onde iriam chegar e como chegariam a essa posição.

Kpi

A essas etapas seguidas por essas empresas se dá o nome de “planejamento estratégico”, recurso de extrema importância para que sua empresa alcance seus objetivos e se torne aquilo que você sempre sonhou.

Mas de que forma a aplicação dessa ferramenta auxilia efetivamente no desempenho de uma empresa?

  • Controlar a cultura organizacional: após a definição da missão, visão e valores de sua empresa, haverá sempre um “guia” que auxiliará na tomada de decisões. Além disso, manterá todos os componentes e setores da empresa em sintonia.
  • Gerir as metas e deixá-las mais visuais: utilizando de determinadas ferramentas e indicadores, é possível se traçar objetivos e acompanhar a sua conclusão. Por exemplo, com uso de recursos visuais, como gráficos e tabelas.
  • Faça análises e crie planos de ação: com os recursos visuais citados anteriormente é possível se realizar análises dos pontos fortes e fracos de sua empresa e elaborar planos de ação eficazes e pontuais.
  • Crescer em todos os aspectos: com um planejamento estratégico bem estruturado, um bom acompanhamento e com pessoas que se identifiquem à cultura da empresa, haverá o crescimento da harmonia, da efetividade na realização de tarefas.

Criando o Planejamento Estratégico

Nesse ponto você já deve estar se perguntando: como fazer para estruturar um bom planejamento estratégico que transforme o funcionamento da minha empresa?

Porém, antes de dar o primeiro passo para se responder o questionamento acima, o empreendedor, a todo momento, deverá fazer a si mesmo 3 perguntas:

  1. Onde sua empresa se encontra atualmente?
  2. Onde a sua empresa quer chegar?
  3. O que fazer para chegar lá?

As respostas para essas perguntas, servirão como base para todo o planejamento estratégico e é importante pensar nelas em cada etapa. Sendo assim, fica mais fácil se realizar o primeiro passo, que consiste na definição da cultura de empresa.

Definindo uma identidade

Esse passo consiste na definição da missão (o propósito para o qual a empresa foi criada), a visão (o objetivo final que se deseja alcançar com sua empresa, praticamente um sonho) e a imagem que a empresa pretende ter perante os stakeholders. Com tudo isso bem definido, ficará mais fácil completar os próximos passos

Definida a cultura da empresa, é necessário agora realizar uma análise de onde a empresa se encontra atualmente em meio ao mercado, sendo esse o segundo passo, a análise de mercado.

Analisando o mercado

Ao realizar essa análise o empreendedor costuma se deparar com um mercado muito saturado, com muitas empresas oferecendo ao consumidor os mesmos tipos de serviço.

Posteriormente é importante analisar a forma de como esses produtos são oferecidos ao consumidor, para que então, sua empresa possa se diferenciar e se destacar em meio à concorrência.

Um  conceito interessante a ser seguido e que tornará mais fácil alcançar esse destaque é o Golden Circle. Ele tem como objetivo agregar valor a uma ideia, negócio, campanha ou produto.

Golden Circle

Para aplicar o Golden Circle, no momento de venda do seu produto, deve-se começar pelo círculo mais interno, o “Porquê”, depois pelo “Como” e, por último, pelo “O que?”.

  • Porquê (Why): é o mais interno e importante dos círculos, é pouco utilizado no mercado. Consiste em vender os ideais e valores da empresa (aqueles definidos no passo anterior) antes de vender o produto.
  • Como (How): o segundo círculo visa mostrar ao cliente a forma como seu produto consegue ser superior ao do concorrente. Isso é realizado por muitas empresas.
  • O que (What): o terceiro círculo diz respeito a qual tipo de produto sua empresa oferece e é feito por todas as empresas que estão no mercado.

Essa metodologia propõe mostrar, primeiro, qual é o valor do produto, sua qualidade e porque o cliente deve comprá-lo. Depois, mostrar como o produto pode ser benéfico para ele e, por último, falar sobre o produto.

Assim, conseguir elaborar esses três aspectos incentivará mais venda do produto. Dessa forma, a empresa tem boas chances de se alavancar no mercado. Porém, antes de começar essa subida, é importante definir bem onde se quer chegar e como chegar até lá.

Powered by Rock Convert

Traçando objetivos

Todas as análises e passos feitos anteriormente podem ajudar a definir os objetivos do empreendimento. Entretanto nesse passo é necessário focar em algo mais tangível do que foi definido anteriormente. Por exemplo como o valor arrecadado em vendas nos próximos cinco anos.

Definidos os objetivos, é necessário se elaborar formas de alcançá-los, criando planos de ação que forneçam bons resultados. Para a elaboração desses planos, existem algumas ferramentas que podem ser de grande importância. São elas:

Ferramentas

  • 5 Forças de Porter: é uma ferramenta que deve ser utilizada por empresas de qualquer porte. Ela consiste em analisar o poder de negociação dos fornecedores, a ameaça de produtos substitutos, ameaça de entrada de novos concorrentes no mercado, o poder de negociação dos clientes e a rivalidade entre os concorrentes Analisando esses 5 fatores, é possível a elaboração de soluções e planos para contornar adversidades e se alcançar o objetivo.
  • Matriz SWOT: a matriz SWOT funciona da seguinte forma: são definidas as forças e fraquezas da empresa, bem como a oportunidades e ameaças que o mercado oferece. Com esses pontos bem identificados, eles são cruzados, e são elaboradas estratégias de alavancagem da empresa, confronto de ameaças, superação de problemas e o que deve ser evitado para que a empresa não venha a ter problemas.
  • Matriz GUT: a matriz GUT, assim como a matriz SWOT, define alguns parâmetros internos e externos à empresa. Entretanto, é mais voltada para a problemas e tarefas. No caso dessa matriz, os quesitos a serem avaliados são a gravidade, a urgência e a tendência. Com esses aspectos bem analisados, fica mais fácil escolher quais tarefas se priorizar ou quais problemas devem ser primariamente resolvidos.
  • 5W2H: essa ferramenta, consiste em colocar no papel tudo aquilo que diz respeito a objetivos e como alcançá-los. Por meio da definição de itens (que dão nome a ferramenta: what, why, where, when, who, how e how much) se define detalhadamente um objetivo a ser cumprido como fazê lo. Com os objetivos e planos para alcançá-los estabelecidos, é necessário agora criar maneiras de se metrificar as ações de sua empresa, para que seja possível saber se houve sucesso ou fracasso em determinada tarefa.

Medindo o sucesso

Para se realizar essa “medição do sucesso” devem ser criados indicadores que meçam processos chave da empresa para que um objetivo seja bem sucedido.

Esses medidores são chamados indicadores-chave de desempenho ou KPI’s da sigla em inglês e são de extrema importância para qualquer empresa.

Eles devem ser definidos de uma maneira que representem bem os objetivos a serem cumpridos. Isso evita longas análises de dados.

Por exemplo: o objetivo da empresa é aumentar o lucro, logo, um bom KPI seria a porcentagem de aumento da receita em relação ao ano anterior.

A metrificação de desempenho deve ser estruturada em todos os níveis da empresa e para isso, são utilizados os KPI’s secundários, também chamados de OPI’s. Esses por sua vez, medem o desempenho de cada setor da empresa e permitem a identificação de gargalos na realização das tarefas.

É importante ressaltar, que mesmo depois de feito um bom planejamento estratégico e colocá-lo em prática é necessário sempre acompanhar o desempenho da empresa, para manter-se sempre atualizado em relação a metas e problemas, para que seja possível otimizar ainda mais o planejamento.

Compartilhando o planejamento

Por fim, de nada adianta ter realizado todos os passos anteriores se essa
ideia não for compartilhada com todos os membros,
presentes em todos os níveis da empresa.

Somente conhecendo todas as metas, objetivos, valores e propósito da empresa que participam, os membros poderão ajudar a empresa a ascender no mercado.

Com esse compartilhamento e alinhamento de ideias todos irão abraçar a causa e terão aquele sentimento de que aquela é a sua própria empresa, melhorando cada vez mais a realização de tarefas e a harmonia no ambiente de trabalho.

Indo além do planejamento estratégico

Como citado no início do texto, um bom planejamento estratégico trás inúmeras vantagens e deveria ser adotado por todas as empresas. O planejamento, porém, é apenas uma pequena parte da estruturação completa de um empreendimento.

Além das questões operacionais abordadas acima, é necessário também se observar questões financeiras e mercadológicas. O planejamento estratégico, e todas essas questões são definidas no Plano de Negócios, que é o serviço ideal para empresas que desejam se estruturar e crescer.

Escrito por Pedro Viana, Consultor de Projetos da PUC Consultoria Jr.

Powered by Rock Convert
Posts relacionados

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.