A Taxa Interna de Retorno e sua importância

6 minutos para ler

No planejamento de uma empresa, os cálculos relacionados à viabilidade do futuro empreendimento são essenciais, já que nos dão a oportunidade de conhecer a possível situação da futura empresa. Com isso, o futuro empreendedor deve analisar à risca os indicadores e taxas. Principalmente na situação em que vivemos atualmente, onde o empreendedorismo tem ocupado cada vez mais espaço. Segundo o Portal do empreendedor, que apontou crescimento significativo durante a pandemia.

O que é a Taxa Interna de Retorno

             Decerto, um dos principais indicadores é a TIR, taxa interna de retorno. Ela é um índice que indica qual o retorno de um investimento em relação a um tempo. Para entender essa taxa podemos iniciar evidenciando o conceito de dinheiro no tempo.

             O dinheiro sem estar investido, em uma conta bancária ou em espécie, perde valor no tempo. Isso é devido a um fenômeno muito conhecido por todos: a inflação. E para evitar esta perda que se deve investir, seja através de produtos bancários como poupança, fundos de investimento. Seja também em empreendimentos já consolidados como mercado de ações, seja em um empreendimento próprio. A porcentagem do capital investido que retorna destes investimentos em um certo tempo é denominada rentabilidade. É este fator que determina se um negócio é mais interessante que outro de acordo com interesse do investidor.

Por conta disso, a TIR é amplamente utilizada por empresas e empresários para determinar se devem investir ou não em algum negócio. Além disso, grandes gestores utilizam da TIR para comparar diferentes opções de investimentos. Outro uso é para cálculos relacionados a quanto tempo até certa quantia de dinheiro se desvaloriza.

O que é Taxa Mínima de Atratividade e sua relação com a Taxa Interna de Retorno

             A TMA, taxa mínima de atratividade, é uma taxa que representa qual a rentabilidade que o investidor, ao iniciar o empreendimento, deseja ter de retorno. Esta taxa apesar de extremamente técnica, deve se adequar ao perfil do cliente. Ela engloba: o custo de oportunidade, responsável por mensurar qual seria o ganho do empreendedor se este mesmo dinheiro fosse aplicado em outro investimento, como os citados anteriormente; o risco do negócio, que busca avaliar o quão arriscado é o negócio para minimizar o efeito de perdas; a liquidez, que indica ao investidor quão fácil é desfazer de um empreendimento e pegar o capital nele investido para aplicar em outro lugar. Portanto, a TMA é uma taxa calculada capaz de apontar qual a rentabilidade que o empreendedor deve desejar como mínima aceitável para realizar um empreendimento.

             Voltando ao tema principal deste texto, quando realizamos um estudo de previsão ou até mesmo análise de fluxo de caixa, podemos obter o valor do VPL (Valor presente líquido). Ou seja, o quanto o fluxo econômico da empresa representa se fosse trago ao tempo presente. Neste momento é que se pode evidenciar o que é a TIR. A taxa interna de retorno é a rentabilidade real do fluxo de caixa de um empreendimento.

Powered by Rock Convert
Powered by Rock Convert

Como já definimos que a TMA é a taxa mínima aceitável para um empreendimento de acordo com o perfil do investidor, é fácil realizar a análise da TIR. Se o valor da TIR for superior ao da TMA, o empreendimento é atrativo para o investidor. Caso as duas taxas sejam iguais, o investimento será indiferente em relação à rentabilidade. E caso a taxa de retorno seja menor que a TMA, o investimento não é atrativo e deve ser repensado.

Vantagens e cuidados ao se trabalhar com essa taxa

             A TIR então é uma forma fácil de mensurar rentabilidade. E, caso o empreendedor já seja familiarizado com investimentos, é uma taxa que o investidor poderá comparar com facilidade. Além disso, pelo fato de ser uma taxa que é dividida entre entre cada projeto em que a mesma é calculada, a taxa interna de retorno tem uma maior facilidade de interpretação. 

Entretanto, esta taxa sozinha não deve servir para avaliar um empreendimento. Existem negócios que demoram mais para retornar lucro para o investidor. Portanto, é normal que a TIR varie de acordo com a janela que é calculada. É capaz de se obter valores extremamente elevados da taxa de retorno ao longo de 3 anos em um negócio que possa ter tido uma TIR extremamente baixa no primeiro ano. Portanto a janela temporal em que se avalia essa taxa faz com que seja necessário um cuidado a mais ao lidar com este indicador. Além disso, essa taxa não é capaz de calcular e prever erros específicos nos projetos, ou seja, ela revela apenas os retornos esperados, e não as potenciais perdas dos investimentos.

       A taxa interna de retorno dentro do EVE

      Hoje, a PUC Consultoria Júnior, fornece ao novo empreendedor a possibilidade de conhecer cada vez mais o seu negócio. Tendo a possibilidade de analisar detalhadamente cada indicador, sendo apenas um deles o TIR. Para isso, basta apenas entrar em contato com a empresa e conhecer os novos serviços, em especial o Estudo de Viabilidade Econômica. Esse serviço que permite ao empreendedor ter uma resposta da viabilidade do negócio que pretende abrir, conseguindo analisar o seu setor, sua saúde financeira, dentre outros.

Todos os indicadores neste texto citados, TMA, VPL, TIR e mais outros estudos como visualização do fluxo de caixa para diferentes cenários e um parecer técnico sobre a viabilidade de um novo empreendimento. Buscamos oferecer não só os indicadores técnicos como também traduzir para uma linguagem próxima do cliente a viabilidade financeira do empreendimento.

Texto escrito por Jéssica Ribeiro, consultora de projetos da PUC Consultoria Jr.

Powered by Rock Convert
Posts relacionados

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.