COMO PREPARAR A SUA EMPRESA PARA UMA CRISE

12 minutos para ler

Sua empresa já vivenciou algum tipo de crise? Você já parou para analisar se sua marca possui um bom preparo para reagir a um cenário desses? São diversas as falhas ou acontecimentos inesperados que podem levar uma organização a um momento delicado e instável ao qual denominamos crise empresarial. Mas, também, são vários os meios pelos quais uma empresa pode agir para contornar ou ao menos amenizar um cenário de crise. A esse conjunto de possíveis ações desempenhadas por profissionais especializados na área é dado o nome gestão de crise.

O que é crise 

Crise empresarial é o aparecimento de algum problema interno ou externo de grande magnitude. Esse, diz respeito a algo que a empresa fez ou deixou de fazer ou a algo de sua responsabilidade. É um cenário que impacta diretamente o desempenho e/ou a reputação da organização, de forma previsível ou não. 

Geralmente, as crises têm relação com a negligência ou banalização de um problema pequeno que inicialmente se instaurou. Por isso, alguns dos principais motivos que geram crises são: crime virtual, abusos, disputas trabalhistas, catástrofes ambientais ou de saúde pública (como a pandemia). Além de danos ao meio ambiente, crédito e/ou endividamento excessivo, ações que vão contra os princípios defendidos pelos públicos, desatualização frente ao modelo de mercado, problema nos equipamentos, sabotagem de funcionários e questões legais.

Mesmo diante de vários tipos de crise, é fato que a que mais se faz presente no cenário brasileiro é a crise financeira. Isso, porque uma das vertentes das empresas que mais sofre impactos é a economia. Ou seja, uma crise quase sempre impacta o financeiro das organizações. Fazendo com que, mesmo que o motivo original da crise não seja monetário, uma crise financeira se instaure. Para entender mais sobre isso, o texto do nosso parceiro, o Boletim Econômico, apresenta um conteúdo repleto de informações quanto às crises financeiras e os impactos delas nas empresas.

O que é gestão de crise

Diante de tantas possibilidades de crise, é necessário que os líderes de uma empresa estejam sempre atentos e tenham funcionários especializados. Como os da área de Relações Públicas, Administração, Recursos Humanos e Engenharia de Produção) para atuar perante essa possibilidade. A gestão de crise, ao contrário do que muitos pensam, não diz respeito apenas à atuação após o alarde da crise, mas sim, a algo que ocorre anteriormente à crise, que antecede a possibilidade de um cenário ruim se instaurar na empresa. 

Logo, a gestão de crise é a preparação para que a organização tenha recursos e condições de atuação caso aconteça algum tipo de gargalo grave. Isso deve ocorrer tendo em vista as diversas possibilidades de acontecer uma crise. Podendo ser com os clientes, com o público interno, com investidores e sócios, com o poder público ou com todos os stakeholders no geral. 

A influência da pandemia em crises empresariais

A necessidade do distanciamento social fez com que diversas empresas, da maioria dos segmentos de mercado, tivessem que se reinventar. Se adaptando às novas exigências dos protocolos de saúde. O mundo se voltou muito mais ao virtual, o que fez com que as organizações que ainda não eram adeptas a esse modelo, precisassem agir rapidamente para evitar perdas econômicas muito grandes. 

Por isso, muitas empresas que não conseguiram acompanhar e se adaptar às novas formas necessárias de trabalho e de consumo, encontraram-se diante de situações de crise. Além disso, diversos setores do mercado foram impactados pela pandemia. Assim devido às exigências e especificidades de seus segmentos, não tiveram como tentar se adaptar à nova realidade. Este, foi o caso de organizações que dependem do turismo. Como exemplo disso, tem-se a Airbnb, empresa de aluguel de imóveis por temporada, que teve prejuízo de 3,9 bilhões de dólares no último trimestre de 2020.

Ainda, diante do cenário pandêmico, as pessoas passaram a cobrar das empresas posicionamentos e atitudes que fossem de acordo com a proteção da vida e que não passassem por cima das determinações das autoridades de saúde. Por isso, empresas como a hamburgueria Madero, enfrentaram crises de venda e de reputação após seus líderes demonstrarem comportamentos desalinhados com as expectativas do público diante do cenário de caos. Se quiser saber mais sobre esse case, os impactos da pandemia e o tema de posicionamento, acesse o texto de nosso blog sobre Posicionamento de mercado em tempos de pandemia.

Ainda, é importante destacar que, com a pandemia, o país e o mundo passaram a enfrentar grandes dificuldades econômicas. Estas geraram desempregos em massa e redução de renda. Por isso, as condições financeiras e o acúmulo de capitais da população foram reduzidos. Consequentemente, o poder de consumo também, o que acarretou em diminuição de vendas que, também, foi causa de crise para empresas que dependem disso.

A importância do preparo organizacional pré-crise e como a gestão de crise pode auxiliar na redução dos impactos do momento de instabilidade

O objetivo de uma gestão de crise é sempre reduzir ao máximo os possíveis impactos negativos que um momento de crise pode trazer à empresa. Sejam eles financeiros ou de reputação. Por isso, no momento de pré-crise é necessário buscar tapar todos os possíveis gaps que sua empresa possa ter. Buscando maior controle possível de todas as instâncias da organização.

Então, é importante encontrar para sua empresa suporte legal, financeiro, administrativo, técnico e de comunicação. Isso fará com que, se uma crise vier a ocorrer, tenham disponíveis recursos suficientes de todas as áreas. Esses suportes podem ser internos, como reservas financeiras, ou externos, como parcerias e contratação de outros serviços.

O que se tem, então, é que a gestão no pré-crise implica a organização e domínio ou controle total da empresa. Existem diversos processos que podem ser feitos para que se tenha a empresa da forma mais controlada e estável possível. Seja contando com suportes internos ou externos. 

De acordo com o blog Insper Conhecimento, algumas dessas possibilidades são: aumentar controle dos resultados que a empresa gera; fazer planejamento financeiro; manter caixa de segurança; criar parcerias com fornecedores; reduzir capital de giro empregado em estoque e contas a receber; melhorar relacionamento bancário. 

Esses processos ou projetos são algumas das formas de aumentar a visualização sobre o faturamento, o rendimento, as relações, o estoque, o capital e a reputação da empresa. Com isso, torna-se possível ampliar a visão e controle geral sobre a empresa, sendo mais fácil de controlar possíveis crises. Assim, contratar serviços que realizam esses projetos em sua empresa pode ser uma excelente estratégia.

Aconteceu a crise, e agora?

Como estamos vendo, quando uma crise se instaura, o ideal é já ter toda a preparação para enfrentá-la. É importante acionar os suportes necessários dentre aqueles que mencionamos. Por exemplo, se a crise for de cunho econômico, deve-se contar com o suporte financeiro reservado para emergências como essa. Já se for uma crise que envolve denúncias e/ou ataques do público, o suporte legal deve ser imediatamente acionado.

O próximo passo, então, é investir na comunicação e transparência internas, buscando sempre manter a calma de toda a equipe. Com isso, o time se torna capaz de enfrentar a crise com as melhores estratégias. 

Além disso, é importante ter em mente que momentos de crise exigem atuar com agilidade na medida certa. Isso significa que cada segundo faz diferença diante de uma crise, porém, é preciso agir com cautela. Evitando, assim, tomadas de decisão por impulso, o que pode apenas agravar ainda mais a situação. É necessário agir da forma mais rápida possível para evitar maiores danos. Todavia, o momento deve ser muito bem analisado, em conjunto, pela equipe atuante no controle do avanço da crise.

Ainda, deve-se evitar paralisar as atividades da empresa durante a crise. Isso porque, se as atividades rotineiras são interrompidas, a situação financeira da organização pode ser mais comprometida. Por isso, a equipe de gestão de crise é fundamental para que os demais setores não precisem se mobilizar por completo em função da instabilidade.

A necessidade de posicionamento e investimento no marketing no momento de crise

Quando uma crise acontece, uma das vertentes mais importantes de se dar atenção para conseguir contornar a situação é a comunicação da empresa com os diversos públicos. Em situações de crise onde a reputação da empresa está em jogo, é necessário que a organização se posicione de maneira adequada, contando com uma boa estruturação do marketing. Por isso, a equipe de comunicação da sua empresa deve ser muito bem articulada e familiarizada à gestão de crise.

Um grande aliado nesse momento é o marketing, principalmente o marketing de relacionamento e o marketing digital, que possibilita a transmissão de informações de forma rápida, além de manter mais próximos os públicos e a organização. Um marketing digital forte e bem estruturado para veicular o bom posicionamento da empresa pode ser um dos principais meios de manter a reputação e a credibilidade organizacionais. Se quiser saber mais sobre esse tópico, nosso blog tem textos e análises muito completos sobre Marketing, Marketing digital e Estudo de caso de marketing.

Para que seja possível visualizar boas estratégias de comunicação e posicionamento em momentos de crise, reunimos algumas dicas de especialistas:

Protagonismo

É muito importante que o dono do problema sempre fale sobre ele. Por isso, o protagonismo nesse caso pressupõe a transparência e a responsabilização. Não ignorar os acontecimentos nem negar a culpa ou negligência total ou parcial da empresa é necessário para passar aos públicos a imagem de uma empresa responsável que atua de forma a amenizar os danos.

Dar prioridade à vida e às pessoas

Se a crise instaurada envolver algum tipo de perda ou dano à integridade ou vida de pessoas, essa deve ser a maior preocupação da empresa. Os danos materiais da organização, nesse caso, devem ser a última preocupação. Por isso, é importante que a empresa busque mostrar solidariedade e respeito aos públicos afetados e resolver isso antes de qualquer outra coisa. 

Verdade e transparência

A empresa deve focar sempre em não mentir diante de uma crise. Nesses casos, uma grande preocupação deve ser manter as pessoas informadas sobre o que realmente aconteceu, os danos reais, o que efetivamente está sendo feito, os resultados e o que será feito. Isso evita a possibilidade de um maior comprometimento da imagem da empresa e o surgimento de especulações errôneas.

Mostrar confiança na retomada à normalidade

Uma importante postura de comunicação da empresa com os diversos públicos no momento da crise e no pós crise, é demonstrar confiança de que tudo voltará ao normal, de que aquilo será sim resolvido da melhor forma. Isso passa segurança aos públicos e transmite um sentimento de esperança.

Para analisar de forma mais concreta a importância do posicionamento dos líderes de uma empresa em crise. Vamos analisar um caso de insucesso diante de momentos de erros organizacionais. Um caso recente que repercutiu bastante na mídia é o caso da Backer, cervejaria que, em 2019, produziu lotes de cervejas contaminadas, que deixaram diversas vítimas fatais ou em estados graves. A empresa, mesmo depois de mais de um ano do ocorrido, nunca prestou nenhum tipo de assistência às vítimas e suas famílias. Além de ter tentado mentir sobre o que realmente aconteceu na produção dos lotes contaminados. Isso fez com que a empresa se afundasse mais ainda diante da crise que estava enfrentando e foi causa para milhares de consumidores pararem de gastar seu dinheiro com a marca.

O momento pós-crise

Quando uma empresa consegue gerir bem a situação e a crise acaba, ainda são necessários comportamentos que passe segurança aos públicos e que possam evitar uma nova crise:

Medir os danos após o gerenciamento da crise empresarial

Depois de uma crise, a empresa deve buscar levantar exatamente quais e de quanto foram os danos causados. Dessa forma, é possível ter uma visão geral da crise e visualizar a situação em que a empresa se encontra, além de suas novas necessidades.

Tirar lições da crise

Após fazer o apanhado geral da crise, é possível perceber falhas anteriores ou no momento da crise. É possível observar como certas situações poderiam ter sido evitadas e como outras atitudes teriam funcionado melhor. Também torna-se viável observar o que deu certo e funcionou bem. Isso é muito importante para evitar que os mesmos erros sejam repetidos na empresa e para guiar novas ações.

Se interessou pelo tema? A PCJ pode te ajudar!

Viu como é importante deixar sua empresa sempre bem organizada e com processos bem definidos e claros para evitar que um cenário instável a leve à uma grande crise? Aqui na PCJ nós oferecemos serviços, como o Planejamento Financeiro, que podem te ajudar a tornar seu negócio mais seguro, preparando melhor sua organização para lidar com cenários ruins ou ajudando-a a sair deles!

Se interessou? É só entrar em contato conosco!

Além disso, não se esqueça de conferir os outros textos de nosso blog, que está repleto de conteúdos como esse! 

Texto escrito por Iara Teixeira, gerente de Recursos Humanos da PUC Consultoria Jr.

Posts relacionados

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.